observatório das metrópoles

MATÉRIA

18/10/07 - Educação e moradia

A pesquisa foi desenvolvida pelo Observatório das Metrópoles e o Departamento de Educação da PUC do Rio, em 20 escolas do município do Rio. Entre outros dados, o estudo aponta que alunos, que moram em comunidades próximas a bairros nobres, têm desempenho escolar inferior às crianças de igual condição sócio-familiar que vivem em favelas mais afastadas do Centro e Zona Sul.

O resultado da pesquisa "Os efeitos possíveis da segmentação e segregação sócio-territorial sobre o desempenho escolar de crianças e jovens" será publicado na revista da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina (Cepal). As fortes diferenças encontradas, segundo o coordenador do Observatório das Metrópoles, Luiz César Queiroz Ribeiro acontecem por uma série de motivos. Um deles, que poderia ser uma vantagem, é a localização dessas favelas.

“São várias as razões possíveis; uma delas é que a localização das favelas junto à áreas ricas oferece mais possibilidades do jovem conseguir emprego. Essa criança é levada mais facilmente e mais cedo ao mercado de trabalho dentro ou fora das favelas, abandonando os estudos", explica o também professor titular do IPPUR/UFRJ.

Outra questão apontada é que moradores de favelas do subúrbio ainda têm a possibilidade de matricular o filho em escolas particulares, possibilitando à criança uma maior interação com outras classes sociais. Devido os altos preços das mensalidades das escolas particulares na Zona Sul, isso não é possível:

"A falta de contato das crianças das favelas da Zona Sul com crianças de outros grupos sociais também é um fator para o abandono escolar. Uma criança que mora numa favela nessa região só tem condições de ir para escola pública. Isso acaba criando uma certa segmentação escolar. Nas outras regiões ainda é possível ao morador de favela ter acesso à escolas particulares, pois elas são bem mais viáveis".

A idéia do trabalho é compreender como o meio social reflete no desempenho escolar do aluno. A maioria das favelas cariocas vive em constante situação de conflito, isso também influencia para o mal desempenho educacional dos alunos.

" Precisamos de um mínimo de segurança para ter a capacidade de aprender. Uma criança criada onde a vida é incerta, em meio à violência, tem sérios problemas no aprendizado. Crianças socializadas nesse meio têm uma maior dificuldade de disciplina e atenção. A idéia da pesquisa é mostrar o quanto é importante pensar juntamente políticas educativas com políticas urbanas e não dissociá-las, como é feito”, afirma Luis César.

O estudo teve destaque essa semana em diversos veículos de comunicação, entre eles o site da BBC Brasil e o jornal O Globo.

Clique aqui para ver outras matérias

©Observatório 2000 - 2007. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Nos3 - www.nos3.com.br
Webmaster: Ricardo Sierpe - rsierpe@ippur.ufrj.br
Contatos: Metrodata - metrodata@ippur.ufrj.br